Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Celina Por Aí

Viagens, dia-a-dia, moda, entre outros. Celina Por Aí é de tudo um pouco.

Celina Por Aí

27.02.23

Como encontrar antepassados em Portugal - Árvore Genealógica


Celina

Há uns anos que ando numa procura intensiva por aqueles que são os meus antepassados e já tenho uma árvore genealógica bem composta. Vejo muitas vezes pessoas que pretendem saber quem eram os seus antepassados mas que não sabem onde e como procurar. Irei indicar tudo o que eu fiz para construir a minha árvore genealógica.

É necessário saber um local, um nome e uma data aproximada, seja de um nascimento/batismo, casamento ou até mesmo de um óbito. No site tombo.pt podemos encontrar milhões de registos. Esses registos são antigos, para a cidade onde estou à procura só existem registos anteriores a 1911.

arvore-genealogica-portugal-1.PNG

A primeira etapa é abrir o site https://tombo.pt e ir ao local onde o registo foi realizado, após isso temos uma lista de livros paroquiais e basta seleccionarmos o ano pretendido. É-nos apresentado um conjunto de imagens que são os registos que eram escritos pelos párocos da igreja. Aqui é preciso ter alguma prática de leitura de textos antigos, pois eles escreviam de uma forma que não é simples de entender para quem não está habituado. A imagem seguinte é um exemplo do que pode ser encontrado nesses registos.

arvore-genealogica-portugal-2.PNG

Neste momento pode ser que tenhas uma questão bem lógica: mas como consigo criar a minha árvore a partir desses registos? Além de muita paciência é preciso muita procura.

O próprio site tem um guia onde explica como podemos procurar mas irei indicar como eu fiz para encontrar os registos:

Se a data não for exata basta procurar à volta dela, uns anos antes e uns anos depois para encontrarmos o registo. Neste registo já é possível criar uma pequena árvore genealógica, pois estão indicados os nomes dos pais e dos avós paternos e maternos.

Após isso, podemos partir para o casamento. Coloquei sempre uma média em que a pessoa se casaria aos 18 anos, fazia as contas, procurava esse ano e os anos seguintes. Aqui entra a paciência pois encontrei antepassados que se casavam com mais de 30 anos, ou seja, foram muitos registos que eu tive que percorrer para encontrar o casamento. Neste registo ficamos a saber a data em que o casamento ocorreu e, com isso, temos uma ideia de quando o primeiro filho nasceu. Logicamente que estou a assumir que o primeiro filho nasceu após o casamento, o que era comum. Além disso, sabemos também o nome do noivo, a idade, naturalidade e o nome dos seus pais. Com esses dados é simples para encontrar o registo do batismo.

A data do casamento foi encontrada então podemos voltar para os batismos e procurar por um filho que tivesse o nome dos pais que já conhecemos do casamento. Voltamos a fazer uma pesquisa parecida à inicial mas ao invés de olharmos para o nome da criança, olhamos para o nome dos pais.

Como temos os nomes dos pais dos noivos é possível encontrar os registos deles. Como sabemos que numa determinada data um fico estava a casar-se com uma determinada idade, temos o ano em que ele nasceu e, com isso, além do registo de batismo do noivo é possível encontrar o registo do casamento dos pais, se for o primeiro filho é sempre mais fácil. Com o registo de casamento dos pais temos acesso às idades deles, o que nos leva ao registo de batismo.

Fazendo isso para cada nome encontrado pode-se construir uma árvore genealógica tão grande quanto existirem registos. A minha já vai na 8ª geração e ainda consigo ir mais além caso pretenda.

O processo pode parecer confuso, interminável e complicado, principalmente porque requer imenso tempo e, o principal é que requer que se entenda o que está escrito no registo em si, um registo manual que nem sempre é simples de "decifrar". 

Existe um outro site onde podemos encontrar os registos, este site é mais simples mas não contém tudo o que o tombo.pt tem, é o Repositório Histórico. Nestes dois sites também é possível pesquisar por passaportes para quem tem familiares que viajaram.

Como já tenho alguma experiência com esta procura podem entrar em contato comigo que, no que for possível e estiver ao meu alcance, poderei ajudar. Envia email para celinaporai@gmail.com com os dados que tens.

Espero ter ajudado nas tuas pesquisas!

4 comentários

Comentar post